Arquivo da categoria: Meio ambiente

Chevron denuncia lado feio da mãe natureza

Presidente da Chevron para a África e América Latina, Ali Moshiri: a natureza é a natureza da natureza do homem

Olhem bem a cara do sujeito. E nunca esqueçam seu nome: Ali Moshiri.

Como vocês verão abaixo, ele faz uma denúncia séria: ou acabamos com a mãe natureza ou a mãe natureza acaba conosco!

Alguém precisa fazer algo contra essa terrível mãe natureza, essa madrasta…

xxx

CartaCapital Online

Em entrevista concedida após encontro com o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, o presidente da Chevron para África e América Latina, Ali Moshiri, culpou a “mãe natureza” pelo acidente provocado por sua empresa que provocou o vazamento de petróleo no Campo de Frade, na Bacia de Campos, no Rio de Janeiro.

Segundo Moshiri, a prioridade da empresa, agora, é selar e abandonar o poço com segurança, o que deve ser feito até meados de dezembro. Ele não quis fazer previsão de quando a empresa voltará a atuar na extração de petróleo no País.

“Isso depende do governo, não seria justo se eu fizesse uma previsão”.

O executivo destacou que a unidade brasileira tem um dos melhores índices de segurança entre todas as operações da companhia no mundo.

Sobre a possibilidade de o governo brasileiro proibir as atividade de exploração da Chevron no país, Moshiri disse que essa é uma decisão governamental e lembrou que a empresa atua em 150 países. “O Brasil é importante, mas se o governo decidir, vamos respeitar”. Segundo ele, a empresa irá revisar as multas que receber dos órgãos brasileiros e “seguir os procedimentos de acordo com regulamentação brasileira”.

O ministro Lobão explicou que a empresa poderá continuar operando nos outros 11 poços que explora no Campo de Frade, mas está proibida de fazer novas perfurações, conforme determinação da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). “Até que a agência conclua as suas investigações e possa modificar os seus estudos e as suas determinações, eles continuarão impedidos de perfurar novos poços”.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Meio ambiente

Brasília está pegando fogo

Bombeiros se esforçam em apagar o fogo na mata próxima à Granja do Torto, uma das residências da presidente Dilma Rousseff. O fogo é provocado pelas queimadas comuns durante longos períodos de seca no Distrito Federal.

Acode, acode, acode a bandeira nacional…

Deixe um comentário

Arquivado em Meio ambiente

O fim e o fim das sacolas plásticas

Olhem bem para esta sacola plástica: ela destrói o planeta, mas não se culpe se sentir saudades dela

Por força de lei, as sacolas plásticas foram abolidas dos supermercados de Belo Horizonte. Em São Paulo, acontecerá o mesmo a partir de 2012. A tendência é que, mais cedo ou mais tarde, todo o Brasil copie a medida. O meio ambiente agradece.

A partir da experiência belorizontina, veja os efeitos dessa evolução nos hábitos de consumo:

PRIMEIROS 10 DIAS – Toda vez que chegar ao caixa do supermercado, você ficará encantado ao saber (ou ser lembrado) que as sacolas plásticas não fazem mais parte de sua vida. Comprará sacolas não descartáveis – elas serão vendidas no caixa – e ao fazê-lo experimentará uma sensação de euforia e bem estar, talvez até um leve torpor. É a descarga de endorfina no sangue, resultado do exercício dessa nova prática de cidadania.

Inevitável será fazer um comentário bem humorado na linha “pra frente é que se anda” com a moça do caixa ou com o cliente ao lado. Todos darão risadas.

ENTRE 10 E 30 DIAS – A ficha ainda não caiu. Toda vez que chegar ao caixa do supermercado, dirá, ainda bem humorado: “putz, esqueci de trazer as sacolas de casa de novo…”. Terá três opções: comprar a 20ª sacola não descartável, disputar uma caixa de papelão com o cliente ao lado ou carregar as compras na mão. Mais tarde, já em casa, ao comentar o ocorrido, você estará plenamente realizado do ponto de vista do consumidor consciente. Mas não estará sorrindo.

ENTRE 30 E 45 DIAS – Começa a crise de abstinência.  Mesmo que não esteja no caixa do supermercado, você não conseguirá esquecer as sacolas plásticas. Como acontece com o ar que respiramos, cuja importância só é completamente percebida quando falta, você finalmente perceberá que sua vida girava em torno das sacolas plásticas.

O estoque antigo, que antes pelo excesso era um incômodo, acabou. Não há mais sacolas plásticas para o lixinho da pia da cozinha e para os cestinhos de papel dos banheiros. E o problema tende a aumentar.

No que tange ao lixo doméstico, pelo menos por ora, você não encontrará no mercado um substituto para as sacolas plásticas de supermercado; a indústria ainda não está preparada para suprir a demanda de sacos plásticos de lixo com capacidade para 10 kg ou menos (anote: 10 kg ou menos – esse dado será muito importante quando você sair à caça de sacos plásticos de lixo para suprir a carência das sacolas plásticas de supermercado).

E agora vem o pior: pelo menos 30% das vezes em que passar pelo caixa do supermercado, você terá se esquecido de levar suas sacolas para acondicionar as compras. Nessa altura, o porta-malas do carro estará entulhado de sacolas não descartáveis.

DEPOIS DE 45 DIAS – As chances de você ter se tornado um junk plastic bag são imensas. Quando for ao sacolão, passará a acondicionar os legumes e verduras em várias sacos plásticos a fim de reaproveitá-los. (Esse também é um dado relevante: só as sacolas plásticas do caixa estão proibidas, os sacos plásticos – aqueles sem alça – que embalam alimentos in natura continuarão a ser “legais”).  De repente, você se surpreenderá comprando legumes que nunca comprou antes só pela conveniência de ganhar um saco plástico.

Atenção: antes do advento do consumo consciente, você certamente amarrava a boca do saquinho plástico ao comprar berinjelas, por exemplo. Não repita esse gesto nunca mais. É grande a probabilidade de o nó inviabilizar o posterior reaproveitamento do saco.

Fique atendo também aos caixas do supermercado, que, ao passar a mercadoria na balança, pelo vício do hábito, tendem a dar o nó nos sacos plásticos. Explique a eles que você está matando cachorro a grito e que é capaz de cortar o dedinho esquerdo em troca de uma sacola plástica.

O FUTURO – Somos uma geração de passagem. O mundo será melhor no futuro graças a uma iniciativa inaugurada por nós. Pense que seus pais e avós e também seus filhos e netos nunca passarão pelo drama que você passará. Segure as pontas. Nos piores momentos, lembre-se de que está salvando o planeta. Um dia, a vida sem sacolas plásticas será absolutamente normal.

8 Comentários

Arquivado em Cidadania, Meio ambiente

Aldo Rebelo (ou as voltas que o mundo dá)

Veja esta imagem e responda: o deputado Aldo Rebelo (PCdoB) está entrando num túnel do tempo ou num beco sem saída? Nem um, nem outro. A foto de Antônio Cruz, da Agência Brasil, feita agora há pouco mostra o relator do projeto do novo Código Florestal chegando para um encontro com Dilma Rousseff no Palácio do Planalto.

Mas que parece que o deputado se meteu num túnel do tempo ou num beco sem saída, isso parece.

Deixe um comentário

Arquivado em Meio ambiente, Política

We are the world, we are the Amazon…

F-ay-vrrtep fì-tsenge lu kxanì (Tradução: este lugar é proibido)

Entre quinta-feira e sábado, a Amazônia será salva.

Nesses dias, Manaus receberá um time de pesos pesados para discutir a “sustentabilidade econômica, ambiental e social da Amazônia e do Planeta”. Vem o diretor de cinema James Cameron, aquele que comparou o povo da floresta aos Na’vi, a raça alienígena que vive na lua Pandora, de seu filme Avatar. Vem o ex-governador da Califórnia Arnold Schwarzenegger, astro de… vocês conhecem bem a figura.

"I'll be back", ele avisou

Vem também o ex-presidente norte-americano e um dos maiores party rice do planeta, Bill Clinton.

E, por fim, a cereja do bolo: o prefeito de Manaus, Amazonino Mendes (PTB), aquele que prometia motosseras aos eleitores e que recentemente foi flagrado dando um conselho a uma moradora da periferia que tentava lhe explicar por que havia construído sua casa numa área de risco (“Minha filha, então morra, morra…”).

Amazonino em momento insustentável: "Minha filha, então morra, morra..."

Este é o Fórum Mundial de Sustentabilidade, organizado pelo empresário, celebrity e criador do movimento Cansei, João Dória Jr.

Depois do Cansei, João Doria Jr. continua arrasando no ramo dos eventos

Camerom, Clinton, Schwarzenegger e Amazonino estarão na companhia da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, cuja presença garantirá que tudo o que for dito e escrito no fórum não fique apenas nas palavras ou no papel.

O que a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teizeira, faz no meio dessa turma?

Deixe um comentário

Arquivado em Meio ambiente, Política