Viajar de jatinho e helicóptero? Pode, desde que pague

Ah, é uma maravilha… Sabe aquele corre-corre que você está acostumado quando vai viajar de avião? Não precisa. Quem escolhe a hora de decolar é você. E se por acaso você se atrasar não tem problema. O piloto espera.

Check-in? Despacho de bagagem? Fila? Esqueça também! Você simplesmente chega ao aeroporto, entra por uma porta especial e sai direto na pista, deslizando com sua mala até o avião. Escalas indesejadas? Troca de avião? Nunca mais. As viagens são ponta a ponta, mesmo num roteiro inusual, como, por exemplo, Petrolina-Goiânia.

Melhor que isso só quando, além do jatinho, você também pode contar com o apoio de um helicóptero para fazer pequenos deslocamentos. Ou você prefere gastar uma hora no trânsito contra cinco minutos no helicóptero?

É compreensível que os senadores José Sarney (PMDB-AP) e Aécio Neves (PSDB-MG), o governador do Rio, Sérgio Cabral Filho (PMDB), o ex-ministro da Agricultura Wagner Rossi (PMDB), o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo (PT), o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), e centenas de políticos e autoridades do Executivo gostem tanto de viajar de jatinho e helicóptero. Que continuem tendo o prazer de voar com conforto extra. Mas desde que paguem por isso.

“Carona” em jatinho e helicóptero privados não existe, é uma desculpa esfarrapada. O que existe é um relacionamento promíscuo, já institucionalizado, entre homens públicos e agentes privados – estes, claro, sempre solícitos a paparicar aqueles, não por cortesia, mas por interesse.

Homens públicos não podem usufruir de favore$ de agentes privados. É no mínimo imoral, quando não ilegal.

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Política

2 Respostas para “Viajar de jatinho e helicóptero? Pode, desde que pague

  1. Caro Lucas, há tempos acompanho o seu blog. Gosto muito de tudo que você escreve. Este post, especificamente, me gerou uma aflição. Não pelas suas palavras, mas pelos fatos que você noticia: toda essa farra compartilhada nos ares pelos nossos políticos. Há tempos andam dizendo que os nossos políticos são muito caros, que a máquina pública gasta além do que pode. Há tempos a imprensa noticia esses gastos. E você, de forma criativa e descontraída também fala disso.

    Mas além dos fatos expostos nesse post, me aflinge saber que não podemos fazer muito em relação a tudo isso. Mao Tse Tung disse que a revolução só é possível com a violência. Ao mesmo tempo, assistimos omissos a tudo isso. Nos manifestamos por meio da escrita. Mas vc acredita que escrevendo, está contribuindo para a mudança? Você informa às pessoas de todas as sugeiras que acontecem na política, mas é o suficiente?

    Não sei. Vejo um conformismo muito grande por parte de todos. Nós reclamamos, xingamos no facebook, colocamos a boca no trombone/blog, mas nada muda…

    E aí meu caro Lucas, o que dizer?

    • Caro Luan
      Não sou pessimista. Acho que as coisas estão mudando – e para melhor. Veja o que era o Brasil de 20 anos atrás, 50 anos atrás.
      A corrupção é endêmica no Brasil? Sim. Será para sempre? Tenho esperança de que não.
      Sou um jornalista, e o papel do jornalista é contar histórias, boas histórias, retratar o momento, mexer com o público. Meu papel, acredito, é ser um instrumento de indignação. Um dia a indinação transborda. Veja a Primavera Árabe. Nossa vez vai chegar.
      Grande abraço.
      Lucas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s