O pós-Palocci (II)

Caso a frágil situação de Antonio Palocci evolua para o expurgo do ministro, com menos de meio semestre, começará a segunda etapa do governo Dilma. E ela também estará em situação frágil:

1)      Terá perdido a âncora política de seu governo, sem ter outra em vista;

2)      Terá perdido o discurso de moralidade, pela demora em agir;

3)      Voltará, pelo menos por ora, à sombra do ex-chefe, a quem foi obrigada a recorrer. Tende a crescer a estrela do ministro Gilberto Carvalho, o homem de Lula no Planalto;

4)      Terá perdido alguma coisa da fama de durona, por ter vacilado em cortar a cabeça de Palocci no início da crise e também por ter sumido de cena;

5)      Ficará mais suscetível às pressões do PMDB, como já se provou;

6)      Ficará mais suscetível às pressões de grupos ideológicos e corporativos no Congresso, como também já se provou nos episódios do recuo na votação do Código Florestal e da distribuição do kit anti-homofóbico;

7)      Terá pavimentado uma estrada para a (ainda preguiçosa) oposição trilhar.

A vida de Dilma não será fácil.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Política

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s