As algemas do diretor do FMI

Dominique Strauss-Kahn, ainda bem na foto, cumprimenta Dilma em encontro no Palácio do Planalto, em março

Ontem, a Polícia de Nova York precisou escoltar um preso ainda não julgado de uma delegacia a um local não revelado. Obedecendo ao manual, os policiais algemaram o preso, mesmo sabendo que fotógrafos aguardavam do lado de fora da delegacia. Resultado: correu o mundo a imagem de Dominique Strauss-Kahn, diretor do FMI, algemado.

Se o caso de suspeita de abuso sexual e tentativa de estupro tivesse ocorrido no Brasil, dificilmente Strauss-Kahn seria detido pela polícia, já que não houve flagrante.

Se fosse detido, certamente não seria algemado.

Se, na condição de preso, fosse transferido de uma delegacia com fotógrafos na porta à esperá-lo, haveria um esquema especial para não deixar que ninguém visse a “autoridade”.

Quem está certo: Estados Unidos ou Brasil?.

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Mundo, Política

2 Respostas para “As algemas do diretor do FMI

  1. Pingback: O linchamento do ex-diretor do FMI | Blog do Lucas Figueiredo

  2. Há mais sujeira debaixo dos tapetes dos palácios do que supõe a nossa vã ingenuidade. Abaixo os tapetes!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s