Sean, vítima de todos (ou os Waltons não existem)

Capa do livro de David Godman, pai de Sean: a drama de uma criança por apenas US$ 26,95

Fiquei curioso ao saber que David Goldman acaba de lançar nos EUA um livro em que relata a disputa pela guarda do filho, Sean, com a família da mãe do garoto, Bruna Bianchi, já morta. Entrei na internet e vi que o livro é vendido no site da Bring Sean Home Foundation (Fundação Traga Sean para Casa).  O título é A Father´s Love: One Man´s Unrelenting Battle to Bring His Abducted Son Home (“Amor de pai: a batalha incansável de um homem para trazer de volta para casa seu filho sequestrado”). A versão impressa do livro sai por US$ 26,95. O e-book, por US$ 12,99. E o áudio-livro, um pouco mais salgado: US$ 39,95.

A capa do livro mostra pai e filho pescando – o cenário lembra o antigo seriado norte-americano “A Família Walton”. Repare como a imagem foi produzida para não deixar dúvidas ao leitor: ali, supostamente, está um pai que cuida do filho num ambiente saudável e alegre, um pai que faz o filho feliz. Com a mão esquerda, David ajuda Sean a segurar a vara de pescar, enquanto com o braço direito apóia as costas do garoto. A imagem é bonita, mas há alguma coisa de errado nela. A postura, o cabelo, o casaco, o friso da calça, tudo em David parece certinho demais, produzido demais. Sean, contudo, é de verdade. E é aqui que está o problema.

Considero que o STF acertou ao definir que a guarda do garoto deve ficar com David. A lei é clara: na ausência da mãe, o pai deve cuidar do filho (a menos que não tenha condições de fazê-lo, o que, nesse caso, não ficou provado em momento algum). Por maior que seja o amor de uma mãe, Bruna Bianchi não tinha o direito de separar o filho do pai sem amparo legal. Assim como, quando Bruna morreu no parto de seu segundo filho, a família dela deveria reconhecer que, legalmente, o pai tinha direito sob a guarda da criança.

O caso poderia ter tido um final feliz se Bruna, a família dela e David tivessem sido capazes de olhar não apenas para seus interesses (e eu incluo aí o amor genuíno de mãe, de pai biológico, de pai afetivo e de avôs), mas também para as necessidades de Sean. A criança, contudo, foi exposta numa disputa feia. E usada como moeda de vingança. Por todos.

David tem direito sim à guarda do filho, mas ninguém haverá de me convencer que a foto da capa do livro é real. Vejo apenas um garoto exposto. À falta de juízo e ao egoísmo de familiares. À curiosidade mórbida do público. E à crueldade daqueles que descobrira uma oportunidade de faturar alto, muito alto.

Os Waltons não existem.

Anúncios

4 Comentários

Arquivado em Justiça

4 Respostas para “Sean, vítima de todos (ou os Waltons não existem)

  1. leila

    Se o menino é feliz como afirma o Sr. David, pq não usou uma foto recente do menino para a capa do livro e, sim uma anterior aos fatos. Sei que o pai tem o direito legal da guarda do filho, mas os avós maternos também tem direito a visitas,eles já perderam a filha não é justo que fiquem sem nem ao menos ver o neto e, quanto a irmazinha dele, vai crescer sem conhecer o irmão.
    Infelizmente que vemos ai é uma batalha onde os mais interessados (Sean e a irmã) são pededores. Perderam a mãe, perderam um ao outro e, ele ainda perdeu até mesmo o direito de se comunicar com os avós que o criaram.
    E, ainda dizem que ele é feliz?

  2. Carlos

    A imagem não foi produzida, simplesmente porque a imagem é de uma foto antiga, quando o pai e a mãe ainda estavam juntos, então tratava-se de um momento real entre pai e filho, sem nennum intenção de manipular nada, pois não havia ainda a batalha toda que virou esse caso.
    O STF e a justiça brasileira manteve esse caso ate quando durou por causa das pessoas envolvidas, digamos em especial a familia do padrasto, caso fosse um caso como centenas no Brasil de mães pobres com filhos levados pelos pais para outros paises, no Libanos por exemplo existem mais de 20 nessa situação, a justiça brasileira não faria nada.

  3. Não tem nada de errado com a capa do livro, mesmo porque ela é uma mercadoria e precisa ser atraente para que tenha muitos compradores.
    O que deveria preocupar é se Sean está realmente feliz.

  4. eymard

    Excelente seu post. Adorei rever a familia Waltons. A foto da capa do livro parece comercial de margarina! No entanto, voce tem razao. O STF acertou. Como tornou a acertar no julgamento de ontem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s